-->

Memória: Trajetória da Ex-Docente da Direito SBC

Quando tinha 5 anos, ao final da missa de 7ª dia de sua avó na Igreja São Francisco, a pequena Elisabeth fugiu das mãos de sua mãe e entrou no prédio ao lado. Para convencê-la a sair, sua mãe começou a contar histórias daquele local. Encantada com cada conto, ela decidiu que seria aquele lugar que estudaria quando crescesse, o edifício da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.  

Ainda sem saber muito sobre o curso de Direito, em 1971, ela se matriculou no 2º Grau do Colégio Santa Luzia para realizar o curso “clássico”, na 3ª série, para se habilitar ao vestibular. No 3º ano, como eram poucas alunas, o Colégio só ofereceu o Magistério, sem clássico ou científico. 

E embora amasse a psiquiatria, no segundo semestre do ano de 1974, ela se inscreveu no CESCEA: Direito USP noturno. “Em 1975 estava numa grande fila na rua Riachuelo para fazer a matrícula no 1º semestre e para entrar, pela segunda vez, naquele prédio que é o meu preferido na cidade de São Paulo. Em 1974, também me matriculei na 4ª série do Magistério do Colégio Santa Luzia, pois já fizera 360 horas de estágio no ano anterior e tinha uns aluninhos particulares que garantiam algum recurso”, declara a Profª. Drª. Elisabeth De Gennari. 

Durante sua trajetória na instituição, a ex-docente esteve presente em diversos movimentos importantes para o Direito. “Na São Francisco descobri mais que o significado do curso de direito! Descobri o Estado Democrático de Direito a ser reconquistado! Me engajei em todos os movimentos pela reconstitucionalização”, comenta.

Em 1980, a Profª. Elisabeth foi contratada para integrar a Graduação e Pós-Graduação da Faculdade de Direito da USP. E, oito anos depois, como Professora Assistente na Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo na qual, em 1992, se tornou Professor Titular de Processo Civil, onde permaneceu até fevereiro de 2021. “Entre “acasos” – não muito bem pensados – e arroubos infanto-juvenis, descobri minhas duas paixões: o Magistério e a Advocacia. Minha maior alegria é ter certeza de que ajudei a formar muita gente muito melhor que eu, e também continuar a lutar pela manutenção do Estado Democrático de Direito”. 

A Profª. Drª. Elisabeth de Gennari, ainda comentou sobre a importância das profissões que exerceu. “Em síntese, ser professor é ter a coragem de investir sua vida para que o outro seja melhor que você. Ser advogado é lutar intransigentemente pelo Estado Democrático de Direito ainda que não viva o suficiente para vê-lo implantado plenamente”. 

A Direito São Bernardo se orgulha em fazer parte de grandes histórias. 

Matéria: Emanuelle Oliveira – Estagiária da Comunicação Social

Contribuição: Profª. Drª. Elisabeth De Gennari e Prof. Dr. Carlos Eduardo Batalha da S. Costa

Ver mais notícias