Vamos Relembrar: Instalações da Faculdade

A Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo nascia em um prédio de dois andares, com seis salas de aula com capacidade para cem alunos; instalações para os professores; espaço para a Biblioteca; salas destinadas à Diretoria, Secretaria, Contadoria e Tesouraria; espaço de convivência; cantina, cozinha e sala de refeições; local para o Diretório Acadêmico; e sanitários nos dois pisos.Ainda àquela época, foi realizado o processo de desapropriação de uma área 2.500 metros quadrados, contígua ao prédio, onde seria ampliada a edificação inicial e construídas as novas instalações futuramente.

Pouco depois, começaram as obras de ampliação da Faculdade de Direito para atender à demanda crescente por mais espaço. A intervenção adicionou às instalações seis novas salas de aula, restaurante para os alunos, dois auditórios e anfiteatro. A reforma, que ampliou a capacidade de atendimento da Faculdade de 380 para 900 alunos, foi concluída em 1969.

Com o aumento do número de alunos, houve a necessidade de ampliar o número de salas de aula

Novas Instalações

Em 2001, os alunos da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo iniciaram o ano letivo em um novo prédio, construído na área onde se localizava o estacionamento da Instituição. A construção do edifício atendeu a todas as normas de acessibilidade e permitiu a redução do número de alunos por sala.

O edifício, também conhecido como Prédio Anexo, Prédio Novo ou Prédio Barentz, dispõe de 18 salas de aula, sala dos professores, instalações da Diretoria, sala de orientação pedagógica e espaço para o Centro de Apoio ao Aluno. As instalações passaram a contar, também, com jardim de inverno, garagem no subsolo para professores e funcionários e quadra poliesportiva.

Desde então, o antigo prédio da Faculdade abriga a área administrativa, a biblioteca e a sala de informática, além de manter algumas salas de aula, inclusive para a pós-graduação.

 

Projeto Oscar Niemeyer

No ano de 2002, foi elaborado projeto de autoria do renomado arquiteto Oscar Niemeyer para a construção de novo prédio para a Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, que infelizmente não foi à frente em função da dificuldade de execução e custo elevado.

 

Homenagem

Em maio de 2011, a partir de Projeto de Lei de autoria do Vereador Antônio Vieira da Silva, o Tunico Vieira, ex-aluno da Faculdade, o Prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, sancionou lei que atribuiu nome oficial ao campus da Instituição. Em homenagem a um de seus ex-dirigentes, o espaço passou a se chamar “Campus Professor Doutor Diogenes Gasparini”. O homenageado, renomado jurista falecido em 2009, foi Professor Titular de Direito Administrativo a partir de 1979 e Diretor da Faculdade entre 1997 e 2001.

 

Biblioteca

Quando a Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo foi criada, nascia também a sua biblioteca. Desde então, tem dado amplo acesso aos seus frequentadores ao patrimônio literário disponível. No início do ano letivo de 1965, a biblioteca foi organizada para satisfazer as necessidades de alunos do 1º e 2º anos, contando com cerca de 500 volumes.

Rita Angela Zincaglia, então secretária da Prefeitura, “(José Bueno) Lima chegou ao gabinete do Prefeito dizendo que o MEC exigia uma Biblioteca para a Faculdade. Cléia Campi foi fazer o levantamento. Começamos a colher livros da Prefeitura, da casa do próprio Lima, da coleção do Dr. Paulo (Teixeira de Camargo) etc. Precisávamos de certo número de livros sobre Direito para apresentar ao MEC. Foi uma correria.

A Direção da Faculdade adquiriu obras jurídicas e de temas em geral, sempre em acordo com as indicações de seus professores. Junto à biblioteca, foi criado um setor de informações e consultas sobre processos julgados pelos Tribunais do País.

Para o ano seguinte, um aporte de cinco milhões de cruzeiros permitiu suprir a biblioteca com o triplo de livros (1.500) para consultas e estudos, assim como promover melhorias às instalações.

Em 1989, a biblioteca da Faculdade de Direito possuía um acervo de 17.306 publicações registradas.

Reestruturação – Em 1994, a biblioteca foi reestruturada e informatizada. Também inovou-se o quadro de pessoal e acervo. Em novembro do mesmo ano, a Faculdade de Direito inaugurou um novo espaço, com cerca de 150 metros quadrados, o dobro do anterior. Nesse período, o acervo da biblioteca superava 20 mil publicações.

A partir do final da década de 1990, a biblioteca passou a contar com atendimento em tempo integral, e, informatizada, passou a fazer parte da Rede Municipal de Bibliotecas Públicas.

O espaço dispunha de 279 metros quadrados de área total, sendo 80 metros quadrados para o estudo individual e em grupo. Àquela altura, a Faculdade já contava com acervo de 42 mil volumes, incluindo a oferta de obras raras, periódicos e documentação histórica da própria Instituição.

Em 2014, considerando-se todos os materiais disponíveis (livros, periódicos, vídeos, arquivos em formato eletrônico, entre outros), o acervo era composto por mais de 59 mil itens, havendo aproximadamente 12 mil consultas ao mês.

 

Informação retirada integralmente do livro Jubileu de Ouro da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo – 50 anos de Amor Acadêmico.