Vamos Relembrar: Uma faculdade mais acessível para todos

 

Umas das maiores conquistas da sociedade atual, que pode ser creditada à evolução das relações humanas, é o reconhecimento dos direitos e das potencialidades das pessoas com deficiências. A Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo é uma instituição que, desde seu início, preocupa-se com a plena integração e a inclusão dos deficientes em nossa sociedade.

Em sua primeira turma de alunos, um exemplo foi o aluno Yasuo Aki, que perdera a visão aos 17 anos. Havia se candidatado a uma vaga universitária em outras instituições de ensino superior, mas teve sempre sua admissão negada. A Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo foi a única que lhe deu oportunidade de ingressar no ensino superior.

O atendimento às necessidades de Aki foi uma lição a toda a comunidade acadêmica. Os esforços de seus colegas – que contribuíram para que lograsse sucesso na jornada universitária – e a atenção dedicada por professores e funcionários passaram a integrar os valores que desde então norteiam a forma como a Faculdade recepciona aqueles que precisam de apoio especial.

Em reconhecimento de todo esforço ao longo de cinco anos, os colegas formandos de 1969 escolheram Yasuo Aki para pronunciar o juramento oficial durante a cerimônia de colação de grau, realizada em 3 de fevereiro de 1970.

O prédio situado à Rua Java, construção antiga, não foi projetado com as preocupações atuais quanto à acessibilidade de pessoas com necessidades especiais. Com o passar dos anos, no entanto, foram realizadas importantes melhorias, como a adaptação de banheiros, com fixação de barras de apoio nas paredes, alteração na altura de pias, espelhos, saboneteiras e outras benfeitorias.

Também foram construídas rampas com piso tátil, com orientação para deficientes visuais do caminho de acesso às salas de aula, e sala de estudos em grupo, biblioteca, auditórios e sanitários adaptados. O anfiteatro e os auditórios passaram por modificações na disposição dos lugares para que fossem incluídos espaços adequados aos deficientes.

Além disso, em 2014, foi instalada plataforma elevatória para deslocamento entre um dos andares e o pavimento no qual se encontra um auditório, onde não era possível a construção de rampa.



Informação retirada integralmente do livro Jubileu de Ouro da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo – 50 anos de Amor Acadêmico.