Dia do Estudante: Memória FDSBC traz uma família com três gerações no Direito

Celebrando o Dia do Estudante (11), temos a história de uma família cuja trajetória se conecta à FDSBC. Tempos de estudo que resultaram na união de um casal, mudanças na escolha da carreira e até docentes em comum. Todos esses caminhos reunidos pelos laços de sangue e estudo na Direito São Bernardo.

Quando o Direito já está dentro de casa, é difícil não ser cativado pela grandiosidade da carreira jurídica. Por isso, temos tantas famílias apaixonadas pela profissão e formadas pela instituição.

Fernanda Aidar Navas, estudante do 2º ano e, atualmente, assessora de palestras do Centro Acadêmico, “Gestão SomoS”, dividiu conosco sua história. São três gerações que dividem o amor pelo Direito e a formação em nossa Faculdade. O avô materno, Antônio Aziz Aidar, graduado em 1979, a avó paterna, Maria da Graça Albuquerque, em 1982 e seus pais, Andrea Aidar e Marcio Marino Navas Junior, da turma de 1995.

A relação com FDSBC vai desde a formação até vínculos de amor firmados na instituição. Andrea e Marcio se conheceram enquanto estudavam na Direito São Bernardo.

Fato curioso é que, pais e filha compartilham a Graduação, instituição e até alguns docentes que estiveram na grade curricular de todos.

Marco da Direito São Bernardo, o corredor do prédio Java, contendo as placas de formandos, traz um pouco da história daqueles que passaram por lá. Fernanda, no dia do vestibular, esteve no local e disse que “entrar na Faculdade e ver o nome deles nas placas do Java foi muito acolhedor”, relembra o momento em que viu o nome dos seus pais.

Comenta que costumava ouvir seu avô materno e sua mãe falando sobre alguns casos do trabalho, mas achava tudo muito difícil. Sua primeira opção era Relações Internacionais. Quando contou para os pais e o avô, as reações foram distintas, sua mãe ficou surpresa, o pai entendeu que ela se daria bem na área e o avô ficou emocionado ao saber que havia se matriculado na Direito São Bernardo.

Viajando na linha do tempo da família e falando sobre a escolha da carreira, indicou que também houve uma certa dúvida entre eles, mas, por fim, o Direito foi a decisão de todos. Seu avô materno gostaria de ter feito medicina, mas acabou desistindo. Vivendo em São Bernardo e trabalhando na Prefeitura da cidade, elegeu a Faculdade pelo conceito e admiração que todos sempre tiveram por ela. Iniciou os estudos aos 36 anos.

Sua avó materna ingressou na Direito São Bernardo aos 26 anos. Desejava estudar Psicologia, mas, após a indicação de um amigo, prestou o vestibular e foi aprovada. Afirma que foram anos muito felizes e o estudo e a ocupação que seguiu a encantam até hoje.

Já o pai, decidiu ser estudante da Faculdade com base no alto conceito e qualidade de ensino. Sua ideia inicial era seguir a Magistratura. Escolheu o curso para, segundo ele, “saber seus direitos”. Mesmo sem ter seguido na área, considera o conhecimento jurídico algo de muito valor.

Os estudos e debates não ficaram somente dentro da Faculdade.  O avô e a mãe comparam percepções e aproveitam a sabedoria um do outro, mas não deixam as diferenças interferirem na relação. “Parecem uma só pessoa pensando, apesar das divergências, mas sempre é muito legal presenciar isso, porque se respeitam como profissionais e mantém uma super afetividade”, aponta Fernanda.

Mas não foram só os pais que compartilharam os bancos da Faculdade. Durante o ano de 2019, mãe e filha aproveitavam o tempo para estudar juntas. Fernanda ia para o Grupo de Estudos da profª Denise Auad e depois encontrava sua mãe na Biblioteca.

A família atuou em distintas áreas, O avô materno, Antônio Aziz Aidar, na área do Direito do Trabalho e Direito Civil, com especialização em Direito Imobiliário, a avó paterna, Maria da Graça Albuquerque, Direito de Família e Direito Penal, sua mãe Andrea Aidar está na área de Direito Civil, além de ser especialista em Relações do Trabalho e Direito Previdenciário e, por muito tempo, trabalhou junto ao pai, Antônio, no mesmo escritório. Marcio Marino Navas Junior decidiu seguir no negócio da família, sem estar ligado ao Direito.

A Direito São Bernardo é muito importante na vida deles.  Além de ser a decisão profissional, é um elemento que une todos, um amor que ultrapassa tantas gerações. “Penso que o Direito passou a ser algo maior que só uma vocação ou faculdade. É parte da família, assim como a Faculdade de Direito São Bernardo. Faz parte do que somos e do que escolhemos ser, e, penso eu, foi uma escolha muito, mas muito acertada”, finaliza Fernanda.

Feliz Dia do Estudante!

Compartilhe a sua história com a FDSBC! Basta enviar um e-mail para [email protected]

Veja mais relatos na página.

Confira galeria:

 

Ver mais notícias