Direito São Bernardo participa de Competição Brasileira de Arbitragem e Mediação empresarial da CAMARB

Atividade proporciona networking e crescimento profissional aos estudantes, contribui para o desenvolvimento acadêmico e ajuda a formar profissionais mais qualificados

Entre os dias 26 e 29 de outubro, estudantes da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, coordenados pela Profa. Elisabeth V. De Gennari, participaram da VIII Competição Brasileira de Arbitragem Petrônio Muniz, promovida pela CAMARB (Câmara de Mediação e Arbitragem Empresarial – Brasil) e realizada no campus da Universidade Presbiteriana Mackenzie. A atividade contou com a participação de mais de 1.200 estudantes de Direito de 72 equipes de universidades e escritórios de advocacia.

A Competição de Arbitragem e Mediação Empresarial é uma oportunidade de networking e crescimento profissional para os estudantes. Simula o procedimento arbitral de um caso fictício, em que os competidores atuam como advogados das partes em conflito e têm avaliadas as habilidades de escrita e oratória por profissionais com experiência no segmento.

Com uma equipe de 19 integrantes, membros do NEPA (Núcleo de Estudos Permanentes em Arbitragem da FDSBC), a Direito São Bernardo concorreu ao lado de importantes universidades, tanto públicas quanto privadas, como USP e FGV. De acordo com a professora Elisabeth Vicentina De Gennari, coordenadora do NEPA, nesse tipo de competição, os alunos vivenciam a importância da pesquisa científica para a prática profissional.

“As atividades práticas verdadeiras dos profissionais do Direito exigem pesquisa científica e cultura. Na competição que nossos alunos participaram, eles tiveram essa experiência antes de sair da faculdade. O bom profissional do Direito, particularmente o advogado, que não será substituído pelos computadores e é indispensável, é aquele que estuda, que pesquisa, que tem cultura e permanece permanentemente empenhado em estudar; crescer e saber. É o conhecimento que garante uma prática de excelência, que, por sua vez, os colocará no mercado e no exercício profissional digno”, ressalta a professora.

Nélida Moreno, formada em 2014 pela FDSBC, atuou como coach da equipe da Direito São Bernardo. No ano de 2013, Nélida participou da primeira equipe de competição da Faculdade junto com os colegas de turma Expedito Siqueira e Cecília Santana. A coach destacou a integração dos estudantes durante a competição de 2017, o que auxiliou no desempenho dos oradores oficiais e suplentes. “A participação dos alunos na competição foi de se orgulhar, todos empenhados e focados no resultado. Tivemos alguns nervosismos a serem trabalhados nos próximos anos, porém é inegável o empenho da equipe como um todo”.

Outro ex-aluno da FDSBC que atuou como coach da equipe de 2017 foi Rodrigo Salvador, formado em 2015. Ele falou sobre as dificuldades e os benefícios de se participar da competição. “Treinar uma equipe de arbitragem, principalmente para esse tipo de competição, é uma experiência gratificante, mas, ao mesmo tempo, é bem difícil, porque temos encontros semanais, uma série de treinamentos, aulas, precisamos lidar com expectativas dos alunos. Mas são desafios que, no final, realmente valem a pena. Temos a experiência de participar de uma competição brasileira com os melhores dos melhores, aprendemos muito. Eu sempre gostei e já estou há três anos trabalhando com a equipe de arbitragem”.

A equipe da Direito São Bernardo para a VIII Competição Brasileira de Arbitragem Petrônio Muniz foi composta pelos seguintes estudantes: Amanda Macedo Dias (5ºCD); Barbara dos Santos Amorim (2ºCD); Beatriz Narciso de Oliveira (4ºAD); Caroline Veiga Domingues (3ºBD); Eduarda Breda Duarte (2ºDN); Fernanda Farias Garcia (2ºBN); Gabriel Setti Postiglione Fanani (3ºDD); Gabriela Santos Caseiro (4ºAD); Juliana Kaomy Mikado (2ºBD); Leandro Miranda Bento (4ºCN); Luis Henrick Bussola Pereira (2ºDN); Maria Luiza Barros da Silveira (3ºBD); Nathalia Caroline Juarez Delgado (3ºCD); Nicoli Evangelista Capassi (5ºDN); Sérgio Roberto Rojo Júnior (5ºBD); Thaynah de Melo Martão (4ºAD); Victor Luiz Portela Rocha (2ºCN).

Confira a seguir os depoimentos dos oradores da equipe:

Beatriz Narciso de Oliveira (4ºAD) – “Foi uma experiência incrível, o contato com as outras equipes, a amizade que fizemos a emoção de ver o nome da nossa faculdade sendo levado entre tantas outras grandes universidades. Enfim, na hora em que sai o resultado, você desaba. Na hora que termina aquela sensação: ‘Nossa, já posso sair do carrinho da montanha-russa agora e está tudo bem’. Consegui dar o meu melhor, o meu esforço valeu a pena, as noites mal dormidas, o choro, o desespero: “Meu Deus, não vou dar conta”. Deu tudo certo! É uma coisa que levo para a vida. Muito mais do que uma competição, foi algo que me mudou, tanto no Direito – de descobrir algo que sou apaixonada, que é a arbitragem – como em ver o meu potencial – hoje confio muito mais em mim e no que eu faço, eu acredito no meu potencial.”

Juliana Kaomy Mikado (2ºBD) – “Integrar o grupo NEPA e participar da Competição Brasileira de Arbitragem foi a maior emoção! Participar de um grupo com integrantes tão competentes, esforçados e, mais ainda, amigos, tornou meu segundo ano na faculdade inesquecível! Ter ao meu lado pessoas que a todo o momento me ajudaram e me encorajaram a seguir essa tarefa de tamanha responsabilidade foi essencial. Os dias efetivos da competição foram de puro nervosismo, mas que ao final deixaram saudades e um sentimento de dever cumprido! Não tenho palavras para agradecer aos coaches, equipe de apoio, demais oradores, professora Elisabeth e minha família. Sem eles o resultado que obtivemos não teria sido possível.”

Gabriela Santos Caseiro (4ºAD) – “Eu, com certeza, ainda não consigo mensurar a grandeza do crescimento que a competição me proporcionou. Além da união da equipe e de ter conhecido colegas que eu levarei para a vida inteira como amigos de verdade, os nosso coaches nos mostravam a real importância da competição para a faculdade como instituição e nosso papel em representá-la. Apesar de ser exigido muito esforço de todos os integrantes do NEPA, a recompensa se dá de maneira incomparável.”

Leandro Miranda Bento (4ºCN) – “Participar da Competição Brasileira de Arbitragem me trouxe um crescimento acadêmico e pessoal muito grande. Na preparação, pude me aprofundar no estudo da arbitragem e em outros temas muito específicos que não são abordados dentro da sala da aula. Além disso, aprendi a trabalhar sob a pressão de estar diante de um tribunal arbitral, a desenvolver técnicas de oratória e organizar meu raciocínio. Durante a competição, foi possível perceber que as equipes apresentavam a mesma capacidade em relação ao conteúdo, sendo que o diferencial ficava na oratória dos competidores.”

Estratégia de ensino – Neste ano, com a realização da primeira Competição Interna de Arbitragem, durante a Semanajur, a Direito São Bernardo tornou mais conhecida essa estratégia didático-pedagógica dos “moots” (competições ou desafios universitários), que estimulam o estudo e propiciam a prática aos estudantes, preparando-os de forma global para atuação no mercado de trabalho. Essa estratégia de ensino é cada vez mais aplicada pelas universidades do mundo todo e se configura como um diferencial curricular que propicia a melhor colocação e evolução profissional dos estudantes.

Ver mais notícias