Coletivo feminista da FDSBC promove debate sobre a mulher muçulmana

Na quinta-feira, 14 de março, foi realizada uma palestra com o tema “A Mulher Muçulmana na Atualidade”, organizado pelo Coletivo Carphania em parceria com o Departamento Acadêmico Islâmico. O evento trouxe três palestrantes da comunidade islâmica: Nadia Hussein, que é biomédica, Jamila Hussein, formada em Direito e Mag Halat, graduada em Arquitetura e Urbanismo, mas que hoje atua como maquiadora e blogueira.

Com a intenção de conscientizar as pessoas sobre o assunto, cada uma das palestrantes explicou a relação entre a mulher e o Islamismo, desde os direitos que são garantidos pela religião há mais de 14 séculos até as experiências próprias na vida escolar e no mercado de trabalho.

“A gente tem uma visão muito errada do Islam e a gente tá aqui pra tentar desmistificar isso. Muito mudou desde a Índia Antiga e da Arábia Pré-Islâmica, o Islam inocentou a mulher de ser culpada pelo pecado original”, comentou Jamila Hussein.

Nadia Hussein explanou sobre a mulher muçulmana no mercado de trabalho, mostrando que em vários países é permitido o uso do Hijab com os uniformes. Como exemplo, indicou as aeromoças e policiais. “A religião garante o direito da mulher de trabalhar e estudar, pois é visto como uma maneira de se conectar com Deus”, explicou Nadia.

Nas redes sociais, Mag mostra seu dia-a-dia também como uma maneira de fazer as mulheres muçulmanas se sentirem representadas “As mídias representam uma visão tão de “coitadas” sobre as mulheres muçulmanas que até elas acreditam nisso”, complementou Mag Halat.

Confira galeria:

Reportagem: estagiária – Elisa Barbosa

Edição: oficial administrativa – Andressa Rivas

Ver mais notícias