fbpx

Homens: previnam-se contra o câncer de próstata

Segundo tipo de tumor mais comum no universo masculino

Movimento de conscientização sobre a importância de detectar o câncer de próstata precocemente, aumentando as chances de cura. Este é o novembro azul. Assim como o Outubro Rosa, esse mês tem uma programação diversificada para dar destaque à campanha de prevenção.

Surgiu em 2003, na Austrália, chamada de Movember, aproveitando a comemoração referente ao dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata realizada no dia 17 de novembro. Chegou ao Brasil apenas em 2008, com objetivo de alertar os homens para importância de ter um acompanhamento médico a partir dos 45 anos.

É fundamental que haja uma assistência médica para que o diagnóstico seja feito em tempo. “Em São Bernardo, além da prevenção e conscientização do câncer, todas as 34 Unidades Básica de Saúde (UBS), irão funcionar no sábado (24/11), para atender exclusivamente o público masculino. Serão ofertadas consultas clínicas, testes rápidos de IDST/AIDS, orientações sobre álcool e tabagismo, aferição de peso e pressão arterial. A família é fundamental neste processo e deve incentivá-los na busca pelo médico”, afirma Leonardo Seligra, médico urologista.

Conceito médico de saúde, equipe de especialistas de médicos trabalhando informações para examinar Foto Premium

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo mais comum entre os homens, perde apenas para o câncer de pele. Segundo INCA, para 2018, estimam-se cerca de 68.220 novos casos do câncer de próstata no país.

O diagnóstico ocorre principalmente em homens com idade acima dos 65 anos. Cerca de 6 em cada 10 casos ocorrentes são homens mais velhos, sendo raro antes dos 40 anos. O urologista é o médico responsável para diagnosticar a doença. Desta forma, é necessário que seja feito um acompanhamento do médico para que haja a prevenção.

Prevenção e tratamento

A única forma de garantir a cura para essa doença é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, os homens devem fazer o acompanhamento com o médico urologista a partir dos 45 anos. Por meio do exame de sangue Antígeno Prostático Específico (PSA) e também com o toque retal, permite o médico avaliar algum tipo de alteração nas glândulas.

O tratamento depende de vários aspectos, como os estado de saúde atual, estadiamento da doença (processo para determinar a extensão do câncer presente no corpo de uma pessoa) e expectativa de vida.

Em alguns casos de baixa agressividade do tumor, é feito um monitoramento para acompanhar a evolução. “A prevenção do câncer de próstata existe por meio de hábitos alimentares saudáveis e com a prática de exercícios físicos frequentes. A população masculina de maior risco para a doença é a que possui histórico familiar da doença, negros e pessoas obesas”, finaliza Dr. Leonardo.

 

Reportagem: Gabriela Freitas

Ver mais notícias